Conflito socioambiental

Praia de Barro Preto e Praia de Capim-Açu

Localização

Praia de Barro Preto e Praia de Capim-Açu Paraibaba
Ceara
Município(s) atingido(s): 

Paraibaba (CE)

Período: 
1980
População atingida: 

65 famílias

Tipo de Agentes causadores: 
Situação do conflito: 

Especulação Imobiliária, Privatização de Terras Públicas, Empreendimentos Turísticos, Carcinicultura, Degradação Ambiental – a degradação ambiental avança provocada por fazendeiros; criação de camarão traz como consequência a mortandade de crustáceos; expulsão de comunidades pesqueiras e restrição de áreas pesqueiras. Além de ameaça de construção de parque eólico e resort em territórios pesqueiros, gerando insegurança entre as comunidades.

Grupos apoiadores e parceiros : 

Associação Comunitária dos Moradores da Emboaca/ Associação dos Moradores do Sitio Jardim/ Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais – MPP/ Conselho Pastoral dos Pescadores – CPP/ Articulação Nacional das Pescadoras – ANP/ Cáritas/ Associação dos Pescadores, Artesãs, Marisqueiras e Barraqueiros da Comunidade da Vila da Volta/ Associação União dos Pescadores da Caponga – UNIPESCA/ Associação Comunitária de Moradores de Tatajuba – ACOMOTA/ Associação Quilombola do Cumbe/ Associação de Pescadores de Morro Branco/ Instituto Terramar/ Associação dos Moradores de Barra Velha/ Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos – PPDDH/ Escritório de Direitos Humanos e Assessoria Jurídica Popular Frei Tito de Alencar/ Rede Tucum – Rede Cearense de Turismo Comunitário.

Fonte: 

Relatório de Conflitos Socioambientais e Violações de Direitos Humanos em Comunidades Tradicionais Pesqueiras no Brasil. – Brasilia/DF. 2016. 104p. - ISBN 978-85-60917-56-3 Conselho Pastoral dos Pescadores, Org.: Tomáz, Alzení de Freitas & Santos, Gilmar.

Acesse aqui!